Sobre o NUPRI

O Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (NUPRI) nasceu em 1989 sob a coordenação científica de José Augusto Guilhon Albuquerque. Foi a instituição pioneira da docência e da pesquisa de relações internacionais na USP numa época em que, embora existissem inciativas individuais de pesquisadores de relações internacionais, não existia uma instituição que desenvolvesse de maneira mais sistemática docência e pesquisa nesta área.

O NUPRI esteve sob a coordenação do professor José Augusto Guilhon Albuquerque até 2004 quando foi assumida essa função pelo professor Rafael Duarte Villa. Sob a direção do professor Guilhon Albuquerque o NUPRI desenvolveu projetos em várias modalidades: i) de pesquisa, especialmente dois projetos temáticos sobre regionalismo e política externa brasileira nos quais se desenvolveu uma ampla pesquisa empírica que serviu de referência para alimentar pesquisa nacional, que deu origem a importantes trabalhos de mestrado e de doutorado; ii) projetos editoriais, o mais bem sucedido projeto editorial foi a publicação da newsletter Carta Internacional, que com seus textos ricos se transformou numa referência da comunidade de relações internacionais do Brasil mas também de decision-makers e de diplomatas brasileiros. Também um projeto muito bem sucedido foi a publicação naquela primeira etapa de três volumes sobre a “história da política externa brasileira”, que até hoje é reconhecida como uma obra de referencia marcante; iii) quanto à atividade docente, o NUPRI durante meados dos anos 90 até inícios dos anos 2000 lecionou a cada semestre importantes cursos de especialização, que contribuíram para a formação de toda uma massa crítica de pesquisadores no Brasil, muitos dos quais hoje são docentes ou pesquisadores em universidades brasileiras.

Esta etapa que vai até 2004 foi muito marcada pelas pesquisas em política externa. Desde esse ano em que assume a coordenação do NUPRI o professor Rafael Duarte Villa, docente do Departamento de Ciência Política e do Instituto de Relações Internacionais, continua se enfatizando a pesquisa como o eixo da identidade no núcleo. Várias pesquisas nacionais e internacionais foram desenvolvidas, com o apoio da FAPESP, do CNPq, da FINEP e da CAPES, destacando-se pesquisas relacionadas com visões das elites latino-americanas sobre a democracia, pesquisas sobre política externa dos Estados Unidos para a América, e sobretudo diferentes pesquisas sobre segurança internacional da América Latina. É um período em que começam a organizar alguns grupos de pesquisa sobre segurança internacional, estudos da Ásia, América Latina e governança da Internet. No aspecto editorial, a newsletter Carta Internacional é transformada numa revista eletrônica, e em 2011, esse meio editorial é transferido para a ABRI (Associação Brasileira de Relações Internacionais), sendo atualmente a publicação oficial dessa associação. No aspecto docente, a ênfase em cursos de especialização é mudada para cursos de extensão de curta duração, tendo sido lecionado diferentes cursos a partir do ano de 2008 até o presente em áreas que vão desde defesa até estudos da Ásia. Também uma outra forma de extensão em que o NUPRI vem investindo é nas relações entre cinema e relações internacionais, tendo um projeto, o Cinegri, que funciona desde 2016.

Em 2019 o NUPRI fará seu aniversário número 30. Três décadas fazendo história nas relações internacionais do Brasil.